Você Conhece Estufa Urbana de Alimentos?


Imagem conceito do Projeto Cora de estufa urbana. Foto: Projeto Cora/divulgação



Estudantes da USP desenvolvem Estufa Urbana

TECNOLOGIA E INOVAÇÃO


A população mundial deve chegar a quase 10 bilhões de pessoas em 2050. Consequentemente, é esperado também um aumento na demanda por alimentos. Países como a China e a Índia estão atentos a tecnologias de produção que possam complementar o cultivo a campo. Entre as muitas apostas estão as estufas urbanas.

Entre setembro de 2019 e setembro de 2020, um time formado por estudantes de engenharia agronômica da Universidade de São Paulo (USP) e uma arquiteta participaram do desafio Urban Greenhouse Challenge, organizado pela Wageningen University & Research (WUR), na Holanda. Aos estudantes, foram apresentadas informações reais de um terreno na província de Guangdong, no sul da China.

“Fizemos toda uma análise de contexto, levando em consideração também os aspectos culturais, para chegar na ideia do projeto final. Diversos aspectos culminaram na escolha da estufa urbana, como aumentar a oferta de alimentos e reduzir as distâncias da cadeia produtiva”, conta o estudante Gabriel Barbosa, que está no último ano de Engenharia Agronômica, na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP).

A partir da problemática, o time da USP desenvolveu o projeto Cora. Do ponto de vista logístico e de custos, a iniciativa faz todo sentido. Ao estabelecer um polo de produção no meio de uma cidade, reduz-se os deslocamentos e a emissão de gases causadores do efeito estufa, como o CO2. A decisão também evita o desperdício de alimentos, já que parte da produção às vezes fica no meio do caminho por causa de intempéries.

Além disso, a questão social também pesou bastante na escolha do projeto, segundo Barbosa. “Acreditamos que as pessoas estão perdendo contato com a produção de alimentos. Então, além de todo o aspecto de produção de alimentos, buscamos a questão social. Trazer as pessoas para perto, para entenderem todo o ciclo que existe até o alimento chegar à mesa”, relata.

A produção de Alimentos

Pelo menos cinco dos dez andares do projeto Cora têm produção de alimentos, de acordo com o projeto. Na parte interna da estufa, as palavras “tecnologia” e “inovação” ditam o trabalho. São produzidas hortaliças, principalmente folhosas, por meio de hidroponia, aeroponia e dryponics, um sistema recente que consiste no cultivo dos alimentos dentro de uma película de hidrogel. “Você consegue suplementar esse hidrogel com a quantidade específica de nutrientes que cada planta precisa”, conta Barbosa.

As tecnologias foram distribuídas em diversas hortaliças de acordo com a rentabilidade. Desta forma, o dryponics, que é mais caro, ficou reservado para o cultivo de microverdes (microgreens). “São plântulas de algumas culturas no estágio inicial, com cerca de 14 a 20 dias. Elas têm um valor nutricional muito alto e um ciclo muito rápido”, diz.

Na parte externa do Cora, há um espaço de produção mais convencional, mas não menos sustentável. Essa área também envolveu bastante planejamento do time USP no começo do projeto.

“Quando recebemos as primeiras informações, dizia-se que o terreno tinha resquícios de metal pesado, um solo com toxicidade leve que poderia acabar influenciando na produção final. A nossa primeira ideia foi implementar, antes de começar a produção de verdade, a fitorremediação. Usar a biomassa de algumas espécies, como girassol e milho, para remover esses metais pesados”, conta o estudante.

Mas, depois, chegaram novas informações ao grupo dizendo que os níveis de metais pesados eram baixos a ponto de não causarem nenhum problema. Mesmo assim, o grupo decidiu apostar em técnicas de permacultura e agrofloresta, com plantas rasteiras (soja, trigo, sorgo e aveia) sendo produzidas com conjunto com culturas arbóreas (Café e banana, por exemplo).

Conforme o estudante, o Cora tem potencial para produzir mensalmente cerca de três toneladas de frutas e legumes.


http://www.faemg.org.br/noticias/estudantes-da-usp-desenvolvem-estufa-urbana


7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo