Médico cria exame que detecta bórax na urina e diz: “Slime não é brinquedo inocente"


Um médico brasileiro desenvolveu um novo de exame de detecção do bórax no corpo. O método promete identificar os níveis da substância no organismo humano com mais facilidade e ajudar no diagnóstico de casos de intoxicação por borato de sódio.

Bórax: o que é a substância

O borato de sódio, ou o conhecido bórax, é um mineral utilizado como matéria-prima de produtos de limpeza, como sabão em pó, inseticidas, fertilizantes, e até mesmo em produtos de uso diário, como talco para assaduras e colírios.

O bórax também é encontrado à venda nos mercados e usado como ingrediente para a fabricação do slime caseiro.

Bórax pode ser tóxico

O bórax pode estar presente em diferentes produtos do dia a dia, mas em alguns casos seu contato pode ser tóxico ao organismo.

O risco de intoxicação por bórax existe principalmente quando o produto que contém a substância em sua composição não passa por fiscalização no processo de fabricação.

É o caso do slime caseiro. Para a produção da massinha, o borato de sódio é usado para dar liga ao brinquedo infantil e, como bem lembra o toxicologista Anthony Wong, médico-chefe do Centro de Assistência Toxicológica do Hospital das Clínicas, quanto mais bórax, mais elástico o slime. “Então, a tendência é que se aumente a quantidade do produto”, comenta o especialista.

O uso sem qualquer tipo de controle do bórax em slimes traz perigo à saúde das pessoas, especialmente crianças, as que mais manuseiam esse tipo de brinquedo.

Recentemente, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) emitiu um alerta reforçando sobre os perigos que o uso sem fiscalização do bórax pode trazer ao corpo.

“(...) A substância bórax, também conhecida como borato de sódio, vem sendo utilizada e vendida de forma inadequada como ativador de slime, uma espécie de geleca caseira. Tal uso não é regulamentado pela Agência e pode ser prejudicial para a saúde, especialmente de crianças", diz parte do comunicado.

Intoxicação por bórax: como acontece e sintomas

Wong explica que a intoxicação pelo bórax pode acontecer por via oral, respiratória (inalando o pó) e por contato com o borato de sódio com a pele quando ela estiver lesionada.

“Em bebês com assadura, por exemplo, o talco com bórax os intoxicava e levava à convulsões e à morte”, explica o médico.

Quando a intoxicação por bórax acontece, surgem alguns sinais característicos: dor de barriga intensa, constante e que dura muito tempo; náuseas; vômitos e em alguns casos com sangramento; diarreia.

“Em intoxicações mais graves pode haver anemia, alterações no fígado e eventualmente incapacidade de urinar e convulsões”, explica Wong.



Exame de detecção do bórax: como funciona

Caso uma pessoa apresente os sinais descritos, é importante encaminhá-la os mais rápido possível aos cuidados médicos, onde o tratamento adequado para cada quadro será indicado.

Wong chama atenção para o fato dos sintomas básicos e iniciais do bórax serem muito comuns a outras doenças, o que possibilita a confusão de diagnóstico da intoxicação.

“Confunde-se os sintomas com os de uma parasitose ou de uma intoxicação alimentar sem febre e se esquece que o bórax pode ser uma possibilidade”, comenta Wong sobre as possíveis confusões entre a intoxicação por bórax com outros quadros de saúde.

Para certificar se uma pessoa que apresenta os sintomas acima sinalizados está ou não com uma intoxicação pela substância, foi desenvolvido por Wong e sua equipe um exame para detectar o bórax no organismo.

Trata-se de um exame de urina, em que o material do paciente é recolhido e analisado em laboratório para analisar os níveis de bórax no organismo.

Segundo Wong, optou-se por examinar a urina porque, diferente do sangue que só mostra os picos de bórax após seu contato com o organismo humano, a urina constantemente apresenta a substância em caso de intoxicação. “A urina é a melhor matriz porque o corpo concentra a substância para tentar jogá-la fora”, explica Wong.

Onde fazer o exame de bórax

O exame de bórax ainda não está disponível na rede pública de saúde brasileira. Para conseguir realizá-lo, é preciso solicitá-lo ao laboratório Maxilabor, o único onde é possível a análise da urina para tal finalidade, ao custo de R$60. O resultado sai em três dias.

Intoxicação por bórax: é preciso cuidado

A intoxicação por bórax, na visão de Wong, é um problema de saúde e a grande questão que a envolve é que a devida atenção não é dada a ela.

“O que acontece é que pais e médicos não se dão conta que a intoxicação pode acontecer; que o slime não é um brinquedo inocente. Mas o bórax é uma substância extremamente perigosa”, alerta Wong.

O médico reforça que não só a visão do slime como um brinquedo inofensivo, mas a facilidade de acesso ao bórax sem regulamentação fazem com que a intoxicação por borato de sódio seja uma realidade cada vez mais frequente.

“As pessoas não obedecem a lei. Podemos comprar bórax em pó em qualquer casa sem documentação. A água boricada, que idealmente deveria ser de concentração 0,3%, é encontrada em farmácias em 3% a 6%. O que é mais de 10 vezes o permitido. E mesmo as pessoas com permissão comercial de venda do bórax, não há garantia de que a quantidade do mineral está dentro do permitido.”


fonte: https://www.vix.com/pt/saude/577424/medico-cria-exame-que-detecta-borax-na-urina-e-diz-slime-nao-e-brinquedo-inocente

0 visualização