top of page

Janeiro Branco: saiba o que é e como cuidar da saúde mental


Janeiro Branco, Setembro Amarelo, Outubro Rosa e Novembro Azul. O que essas denominações têm em comum? Todas representam campanhas criadas para conscientizar a sociedade sobre temas específicos. Mas além delas existem outras, cada uma com sua proposta de lançar luz sobre assuntos nem sempre fáceis de abordar.

Neste conteúdo, trataremos sobre o Janeiro Branco, campanha voltada à promoção da saúde mental. O tema é de extrema importância em um país onde a Síndrome de Burnout passou a ser doença ocupacional.

Lembre-se que o cuidado com os recursos humanos é responsabilidade da Gestão de Pessoas. Portanto, o RH deve saber o que é o Janeiro Branco e como o tratar o tema no contexto organizacional. Confira!

O que é o Janeiro Branco?

Trata-se de uma campanha nacional e sem fins lucrativos, para conscientizar a população sobre saúde mental e emocional. O Janeiro Branco foi idealizado em 2013, pelo psicólogo mineiro Leonardo Abrahão, com objetivo de incentivar a sociedade a adotar hábitos de autocuidado e autoconhecimento.

Além disso, o primeiro mês do ano não foi uma escolha aleatória para a campanha. Tradicionalmente, janeiro representa um marco temporal e estratégico para as pessoas. O período traz reflexão sobre o que queremos e pretendemos realizar nos próximos 365 dias. Portanto, nada melhor do que colocar a saúde e o bem-estar na pauta.

Nesse sentido, o Janeiro Branco é uma campanha de extrema importância, semelhante a outras iniciativas, como o Outubro Rosa e o Novembro Azul. Uma vez que discutem assuntos relevantes que nem sempre recebem a devida atenção.

Por que é importante promover o Janeiro Branco?

Para justificar a necessidade de uma campanha, nada melhor do que apresentar estatísticas. Conforme a Organização Mundial de Saúde (OMS), os transtornos depressivos atingem quase 12 milhões de brasileiros (5,8% da população). No número total de casos, o Brasil perde apenas para os Estados Unidos.

O mesmo relatório da OMS, publicado em 2017, aponta que o Brasil é líder em transtornos de ansiedade generalizada. O país tem a maior taxa de ansiosos no mundo, totalizando 9,3% dos brasileiros. Pesquisas mais recentes de 2021, mostram que quase 70% das pessoas acreditam que ansiedade pelo novo ambiente de trabalho e excesso de informações são as duas principais dores de novos(as) colaboradores nos primeiros meses de empresa.

Mas o suicídio, outro problema de saúde pública ligado à saúde mental, também tem dados alarmantes. Segundo o Boletim Epidemiológico de Tentativas e Óbitos por Suicídio no Brasil (2017), o autoextermínio é a quarta maior causa de mortes entre os jovens brasileiros. Entre 2011 e 2016 foram 62.804 ocorrências.

Portanto, as estatísticas são a principal razão para campanhas como o Janeiro Branco, porém não é a única. Mas pessoas que sofrem com transtornos mentais e psicológicos são estigmatizadas, pois, infelizmente, falar sobre saúde mental ainda é um tabu.

Diante do preconceito e da desinformação, campanhas como o Janeiro Branco servem de alerta para o tema. Falar sobre o assunto ajuda a construir políticas públicas para prevenir, tratar e combater o adoecimento mental e psicológico.

Em resumo, promover o Janeiro Branco estimula as pessoas ao cuidado com a mente, da mesma forma que cuidamos do corpo.

Quais os objetivos do Janeiro Branco?

Promover a saúde mental é a principal finalidade da campanha. Mas não é a única. Confira outros objetivos que ela propõe.

Diminuir a estigmatização

Promover ações específicas sobre saúde mental é a melhor maneira de romper paradigmas. A campanha Janeiro Branco tem como característica a realização de debates capazes de diminuir o preconceito que ainda existe sobre transtornos psiquiátricos. Ao lidarmos com essas questões, a sociedade se sente estimulada a buscar soluções e aceitar tratamentos adequados.

Aproveitar o primeiro mês do ano e sua simbologia

Para muitas pessoas, o final do ano é a oportunidade de rever as trajetórias pessoal e profissional. Nesse sentido, janeiro é o mês destinado ao planejamento de metas e início de novas atitudes. A simbologia do primeiro mês remete ao recomeço, motivando conversas e ações sobre as mudanças necessárias. Logo, cuidar da saúde mental pode e deve ser uma meta para o ano que começa.


Qual a importância no contexto organizacional e por que se atentar aos cuidados com a saúde mental?

A campanha Janeiro Branco propõe chamar atenção para a saúde integral do indivíduo, principalmente em seus aspectos mentais e emocionais. Nas empresas, o tema ganha espaço, pois a exaustão mental afeta a produtividade no trabalho.

No contexto organizacional, problemas como ansiedade, depressão, isolamento social, Síndrome de Burnout e falta de motivação são sintomas frequentes. As causas são muitas: prazos apertados, metas inatingíveis, competitividade, ambiente tóxico, falta de diálogo e pouca empatia afetam a saúde mental do trabalhador.

Mas a baixa produtividade não é a única consequência do adoecimento psicológico. Aumento nos índices de absenteísmo, dificuldade de relacionamento e turnover também marcam presença.

Nesse sentido, cuidar da saúde e do bem-estar dos colaboradores é um dever da Gestão de Pessoas. Tanto para alcançar os resultados esperados quanto para preservar o clima organizacional.

Assim, o setor é responsável por conscientizar todo o quadro, independente da hierarquia. Gestores, colaboradores, lideranças e parceiros, público interno e externo, todos devem estar engajados.

Além disso, o RH deve considerar que as estratégias em prol da saúde mental não estão restritas ao mês de janeiro, elas podem ocorrer durante o ano todo, valorizando as pessoas. Trata-se dos recursos mais importantes em uma empresa.


4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page